Dia Internacional da mulher

O dia 8 de março de 1857 não é apenas uma data para ser comemorada, mas também para rediscutir o papel da mulher na sociedade. É uma data não só para relembrarmos a luta daquelas 130 tecelãs que foram desumanamente carbonizadas, mas também para reafirmarmos as lutas e conquistas que o Movimento Feminista veio concretizando até hoje.

O Movimento Feminista é, sobretudo, um movimento político cujo objetivo é garantir a igualdade de direitos entre homens e mulheres, ou seja, assegurar a participação da mulher na sociedade de forma equivalente aos homens. Além disso, o movimento procura desnaturalizar a idéia de que há uma diferença entre os gêneros, a qual está impregnada em praticamente todas as culturas. Mas a luta não se limita apenas na equalização das condições de trabalho, trata-se também da modificação na concepção de que a mulher é mais “frágil” que o homem, o que acaba por minimizar o seu papel dentro da sociedade. Entendemos que a hierarquização do sexo não é uma questão meramente biológica, mas sim uma construção social formada por uma sociedade extremamente patriarcal. Por isso, além das desigualdades de direitos, temos uma questão cultural que tem uma contribuição significativa nessa diferenciação dos sexos.

Apesar de todos os avanços, a mulher ainda sofre com as condições de trabalho desfavoráveis, com a violência doméstica, com sua inserção e participação na política, com a legalização do aborto, etc.

Mas não podemos deixar de mencionar a sua dupla jornada de trabalho, onde a mulher passou a se inserir nos espaços que antes eram reservados aos homens, pois por muito tempo ela tinha uma função meramente de reprodução e produtora de valores de uso para o consumo familiar. No entanto, as atividades ainda direcionadas ao trabalho feminino são de intensa exploração enquanto que os de capital intensivo permanecem reservados ao trabalho masculino, o que mostra a contínua desvalorização e o não reconhecimento da produção feminina dentro do sistema econômico.

Por isso, a Executiva Nacional dos Estudantes de Farmácia vem parabenizar todas as mulheres guerreiras, em especial as que compõem o Movimento Estudantil de Farmácia, reconhecendo a importância de suas lutas e do seu valor para a construção de uma sociedade mais igualitária.

 

Walma Pereira de Vasconcelos

Coordenadora Secretária da ENEFAR

Gestão 2011/2012 – “Unir para Consolidar”


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s